terça-feira, 17 de janeiro de 2012

A Michel Telolização mundial - Assim vocês me matam

Compartilhar Já faz algum tempo que o cantor Michel Teló é um dos assuntos mais comentados do mundo graças ao hit Ai, se eu te pego. Esse texto é só mais uma opinião sobre a música que dominou as paradas mundiais nos últimos dias. Portanto, se você já está cansado desse assunto, aproveite e pare a leitura por aqui.

Acho incrível como o sucesso ainda incomoda e como as pessoas estão cada vez mais insuportáveis com determinadas coisas. Pra começar quero esclarecer que não acho Ai, se eu te pego o maior desastre da música brasileira, mas também não fiz download, não comprei o cd e certamente não vou incluí-la em qualquer playlist criada por mim.

Mais do que o sucesso da música, surpreende o número de teorias criadas por "gênios" da MPB, antropólogos, cientistas ou seja lá o quem são essas pessoas que buscam sentido e explicação pra tudo. Melodia simples, ritmo dançante e arrisco dizer até agradável aos ouvidos - claro, prejudicada pela repetição -, mesmo com uma letra pobre. A música é isso. SÓ ISSO.

Quem foi que disse que pra fazer sucesso e ser reconhecido tem quem falar com metáforas elaboradas que só são compreendidas em fóruns de discussões criados por fãs. Onde está essa receita?

Até o momento, o tal do Michel Teló pareceu um rapaz simples que não fez mal a ninguém. Com um vocabulário que certamente está presente em 99% das baladas pelo Brasil, a letra, que nem é dele, não é desrespeitosa, está longe de ser o maior dos problemas do mundo moderno e tampouco oferece elementos para analisarmos a situação atual do país. Sobre a dança, não chega a ser uma novidade que agride os bons costumes das famílias brasileiras. Em resumo, não há nada realmente novo nisso tudo.

Explicar porque é sucesso no mundo todo e resultou em dezenas de traduções talvez não seja tão simples. É como tentar entender porque Mambo No. 5, de Lou Bega, dominou o mundo no fim da década de 90 e o single seguinte, I Got a Girl, mesmo tão parecido, foi apenas 48º na Nova Zelândia.

Mas qual o motivo para as pessoas sofrerem tanto com isso? Sou brasileiro e não tenho vergonha da "forma como estão nos vendo em outros países". Supondo que Michel Teló fosse do Uzbequistão e eu gostasse da música. O mínimo que eu faria seria buscar mais informações interessantes sobre o país. Vai de cada um...

O país reconhecido pelo futebol deveria ter vergonha é de um jogador que vai para a Europa por milhões de euros, fica dois meses e chora pedindo pra voltar, sem honrar compromissos e o dinheiro investido. Isso quando não se envolve em escândalos. E fico no futebol para não falar de políticos que rodam o mundo em viagens financiadas pelo povo. Esses estão representando muito bem o povo brasileiro, não é mesmo? Talvez alguns até tenham a chance de ver um ou outro show do Teló por lá...

Os Los Hermanos, que talvez sejam a representação daquilo que muita gente julga como uma banda que faz música "de verdade", já cantaram Anna Julia e hoje ainda colhem os frutos desse sucesso - ainda que demonstrem não gostar muito da música que ELES fizeram. Delícia, quem te ver passar assim por mim, não sabe o que é sofrer. Assim você me mata.

Se tem que falar difícil, estudar 15 anos de música, entender romeno e fazer uma crítica sobre as relações de afeto no Brasil pós-moderno pra poder fazer sucesso, acho que estamos fazendo tudo errado. Vamos levar algumas coisas, só algumas, menos a sério.

Um comentário:

  1. Mariane Vargas Basso18 de janeiro de 2012 00:41

    Concordo absolutamente com tudo que você escreveu Vitor! Tudo, tudo, tudo.

    ResponderExcluir